Setor avícola gaúcho volta a debater importação de milho dos Estados Unidos

Na quarta-feira 14 de março, representantes das agroindústrias e produtores avícolas do Rio Grande do Sul se reuniram para avaliar a situação do mercado de grãos, em especial o milho, que é um dos principais componentes da ração das aves.
  
Altos preços e baixa oferta 

De acordo com comunicado da Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav), em 2016, quando registrado um dos mais altos preços do grão e baixa oferta, o setor deu início a alternativa de importação de milho da Argentina e Paraguai e já na época instituiu esta alternativa como estratégia futura. Segundo a entidade, agora, o movimento é reforçado com a recente nota da JBS que informou a efetivação de operações de importação de consideráveis volumes de milho para entrega já em abril deste ano.   

“Ainda estamos sofrendo os impactos da crise econômica e política que o país atravessa e agora com este movimento de alta do preço do milho e redução na safra, retomaremos as ações para importar milho, caminho que já trilhamos em 2016 e que continua aberto” disse Nestor Freiberger, presidente da Asgav.   

Importação de milho Além das ações para importar milho da Argentina e Paraguai, o setor vai retomar o pleito de importação de milho dos Estados Unidos, pedido encaminhado ao Ministério da Agricultura na crise de 2016. Segundo a Asgav, a avicultura do Rio Grande do Sul consome aproximadamente 2,8 milhões de toneladas de milho e este ano deve importar de outros estados e de outros países em torno de 1,5 milhão de toneladas do grão.
 

sfagro